Contato: (19) 3295-0392 | 3295-2088 | (19) 9 9917-6015

Agende sua consulta! Teleconsulta

Há 20 anos, comíamos menos!

O site do National Institute of Health (NIH) divulgou 2 quiz sobre o aumento das porções e traz muitas informações interessantes. Vejamos alguns exemplos:

Um cheeseburguer:

330 calorias     -------------->      590 calorias
(Há 2 décadas)                      (Atualmente)

Seria preciso fazer musculação por 1h30 para gastar apenas o bônus calórico do cheeseburguer ‘moderno’.

Porção média de fritas

210 calorias   --------------->      610 calorias
(Há 2 décadas)                      (Atualmente)

Isso sem contar os preços promocionais para a porção grande, ou então adicionar cheddar e bacon, tornando essa porção ainda mais assustadoramente hipercalórica.

Uma caminhada de 1h10 gasta cerca de 400 calorias. Mais de uma hora de caminhada apenas para gastar o aumenta de calorias que uma porção média de fritas ganhou com o tempo. E nem sempre temos esse tempo todo à disposição.

Saco de pipoca

270 calorias   ---------------->      630 calorias
(Há 2 décadas)                      (Atualmente)           

Se temos essa diferença toda apenas com o aumento da embalagem, o que dizer das opções de pipoca amanteigada ou o refil de pipoca, disponível em muitas redes de cinema do país?

Jogar tênis por 1h45 serviria para queimar a pipoquinha pedida no cinema nos dias de hoje.

 2 pedaços de uma pizza grande? A pizza aumentou, a massa engrossou e o recheio também está mais generoso.

500 calorias   -------------->    850 calorias
(Há 2 décadas)                  (Atualmente)                           

Andando de bicicleta, as pessoas de hoje precisam andar 1h a mais do que há 20 anos, só para gastar a diferença da quantidade de calorias.

Em breve, falaremos também do aumento calórico em alimentos doces. Haja exercício físico apenas para cumprir os ‘juros calóricos’ que a indústria deixou para nós com o passar dos anos!

*Valores calóricos relativo à média das porções atualmente comercializadas
**Gastos relativos a uma pessoa de130 libras, ou cerca de 59kg

Por Antonio Carlos Barros Jr com supervisão de Dr. Walter Minicucci

Fale Conosco

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida

Av. José Bonifácio, 1901 - Jardim das Paineiras - Campinas - SP,13092-305,Brasil

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O que você procura?

Insulina Humana

A insulina humana (NPH e Regular) utilizada no tratamento de diabetes atualmente é desenvolvida em laboratório, a partir da tecnologia de DNA recombinante. A insulina chamada de ‘regular’ é idêntica à humana na sua estrutura. Já a NPH é associada a duas substâncias (protamina e o zinco) que promovem um efeito mais prolongado.

Análogo de Insulina

Um análogo de insulina é uma forma alterada de insulina, diferente de qualquer que ocorrem na natureza, mas ainda está disponível para o corpo humano para executar a mesma acção de insulina humana em termos de controle glicêmico.

Canetas Descartáveis

As canetas descartáveis, já vem carregadas com insulina e ao terminar seu uso são dispensadas e pega-se uma nova caneta, dispensa portanto a troca de refis, tornando o uso ainda mais simples.

Canetas Reutilizáveis

As canetas podem ser reutilizáveis, e que se compra o refil de 3 mL de insulina para se carregar na caneta. Neste caso é importante observar que as canetas são específicas para cada fabricante de refil.