Cláudio Gouveia – Como eu descobri que estava com diabetes

Cláudio Gouveia – Como eu descobri que estava com diabetes

Bem, descobri que tinha diabetes depois do carnaval de 2008, ou melhor, no carnaval eu já estava, só não sabia!

 

Na época, eu fui acampar na Lagoa do Pau, lá passei 4 dias muito bons, porém quando eu voltei, eu sentia aquela sede incrível, uma fome que era inexplicável, que quando cheguei de viajem, fui até uma lanchonete mais próxima e pedi 3 Sanduíches X-Tudo, 2 para comer ali e outro para levar pra casa, 1 coca-cola de 1 Litro e outra de 600 ML para beber mais tarde com o outro X-Tudo.

Bem, eu não tinha me dado conta da quantidade de comida que eu estava ingerindo, porém, não liguei muito depois que percebi, afinal eu imaginei ser apenas uma big fome.

Os dias se passaram e eu continuava com uma fome que só Deus sabe como era, e vivia com uma garrafa d’agua ao lado, pra falar a verdade a água se tornou mais gostosa, eu bebia com uma vontade, nossa, quando eu lembro dá até saudade e água na boca, pense numa água boa! Só que quando ia na geladeira, eu tomava a jarra toda de 1 Litro, e então começaram a aparecer formigas ao redor do vaso sanitário, eu vi, mas não liguei muito, achei estranho, mas eu não tinha conhecimento dos sintomas do diabetes, e aquilo se repetia, e eu achava estranho, pois depois de urinar eu sempre dava descarga, e mesmo assim as formigas estavam sempre por lá, então uma amiga de meu tio foi e comentou que alguém ali estava com diabetes, pois ela começou a perceber as formigas no vaso, e veio a preocupação, juntou as formigas, a minha sede insaciável e a baita fome, resultado, vamos para o médico, fiz os exames e esperei ansioso, porém não estava com medo, sempre fui muito tranquilo, e é essa tranquilidade que sempre me manteve firme, depois de receber os exames, lá estava todos os números acusando diabetes, o açúcar estava presente em quantidade excessiva no meu organismo, e principalmente, estava na minha urina, pra quem não sabe quando o açúcar sobe no sangue e falta insulina, ele passa para a urina, é aí que se tem o sinal característico de um diabético, fiz outros exames e não teve jeito, estava realmente com diabetes, daí comecei a ler sobre o assunto e de imediato eu já comecei também a tomar insulina, lembro como hoje a primeira vez que eu injetei as primeiras unidades de lantus, não doeu muito, o bom que eu nunca tive problemas com agulhas, já pensou se eu sou daqueles que não suporta agulhas? coitado de mim, porém nunca tive problemas, e fui levando normalmente, parei de tomar coca-cola, coisa que era essencial diariamente, no começo tive vários problemas como várias dores de cabeça, abstinência de cafeína devido a coca-cola, mais minha doutora me deu a dica de sempre que eu sentir aquela dor de cabeça vindo nos horários em comum que eram os que eu costumava tomar coca, eu fosse tomar um dedo de café e com isso eu melhorei, passei os 6 primeiros meses sem colocar uma gota de álcool na boca, sem comer um sanduiche sequer, sempre extremamente moderado, pois era tudo novo pra mim, mudou totalmente minha rotina, minhas refeições, a quantidade, pois tudo é contado, e hoje vivo bem, sempre de olho nas taxas glicemicas, com altos e baixos, quem é diabético sabe muito bem o que é isso. E quem acha que diabetes é o fim do mundo, se engana, eu vivo como uma pessoa normal como qualquer outra que não tem diabetes, a única diferença é que não posso exagerar em comidas, bebidas, e isso não é ruim, ao contrário, é vida saudável.

Ainda conto com a ajuda de pessoas especiais na minha vida que sempre me ajudaram, minha Mãe (Girleide) que foi muito paciente desde o início e sempre preocupada com minha saúde, meu Pai (Cláudio) que vai não vai diz: ‘Quando eu for já sabe, né? meu pâncreas é seu’ uma resenha ele, minha Vó (Geny) que faz minhas comidas e sempre me pergunta como eu tô, sempre preocupada também, meu avô (Zezinho) sempre buscando me mostrar tratamentos alternativos e sempre perguntando como estão as taxas, enfim tenho muitas pessoas ao meu lado, meus tios e tias sempre que há alguma coisa relacionada a doença sempre me informam de modo geral, e o importante é isso, você ter apoio familiar, lhe deixa mais forte, alivia, não que seja tããão ruim assim ser diabético, porém se fosse pra escolher, eu não iria querer ela, né?!

Outro fator que eu não falei acima, é sobre a minha perda de peso, assim que descobri perdi 4 kilos de imediato, muito mesmo! Mais aos poucos fui recuperando, porém ainda continuo magrinho, sempre fui. Geralmente diabéticos são mais gordinhos, né?!

Bom é isso, esse é meu depoimento de como tudo começou.

Cláudio Gouveia, autor do blog soudiabetico.com.br, que mantém o foco em passar informações diversas sobre o Diabetes, sempre interagindo com os usuários de forma dinâmica. Qualquer ideia é bem-vinda. Quem quiser fazer parte desse trabalho, pode encaminhar um e-mail para claudio@soudiabetico.com.br falando como pode ajudar no blog, seja com artigos, depoimentos, vídeos, etc.

Deixe um comentário