Reavaliação do Balão Intragástrico

expontaneamente e este procedimento pode ser muito delicado, outras vezes o paciente mal retira o balão e mesmo tendo emagrecido bem, volta a comer errado, por não ter mudado realmente seu hábito alimentar e torna a ganhar peso rápidamente.
Um grande número de pacientes tem náuseas importantes, durante o seu uso e muitos continuam comendo muito.
Resumindo: não é um tratamento que possamos recomendar a não ser em casos especiais e por pouco tempo

Março/2009

Há alguns anos os portadores de obesidade podem contar com mais uma ferramenta para o controle alimentar. O Balão Intragástrico é um dispositivo feito de silicone, que quando colocado no interior do estômago leva o paciente uma sensação de saciedade precoce. O paciente tem a impressão que já comeu o suficiente e que o estômago já está cheio.

Para que os resultados sejam satisfatórios é necessário que o paciente seja submetido a  um preparo para o procedimento e, principalmente, para as mudanças de hábito alimentar que acontecem após a colocação do balão. Esse preparo é feito com auxílio de uma equipe de multidisciplinar especializada nessa área e com experiência para atender o paciente que realizou esse procedimento.

A colocação do balão é feita por endoscopia, sem cortes ou qualquer cirurgia. Demora cerca de 20 minutos e ao terminar, o paciente vai para casa após se recuperar da anestesia. Não é necessária internação hospitalar. Nos primeiros 2 ou 3 dias o paciente passa por um período de acomodação do balão no estômago. Desconforto ou dor abdominal pode aparecer temporariamente. Depois desse período retorna a uma vida absolutamente normal.

Após a alimentação, o paciente irá sentir uma sensação de plenitude ou de saciedade mais rapidamente e isso o ajudará a se alimentar de uma maneira mais devagar e com menores quantidades de alimentos.

As grandes vantagens do Balão Intragástrico sobre outras maneiras de perder peso são:

A perda de peso até o momento de se retirar o balão deve ser de cerca de 10 a 15% do peso corporal total do paciente. Algumas vezes pode chegar a pouco mais que isso, dependendo de quanto de mudança o paciente será capaz de realizar no seu estilo de vida. No entanto, a permanência dele no interior do estômago não deve passar de 6 meses, e ele deve ser retirado também por endoscopia após esse período. Após a retirada do balão é que a adoção das medidas orientadas pela equipe multidisciplinar se torna mais importante, já que a chance de se ganhar peso novamente é alta. Por esse motivo não se deve realizar esse procedimento sem auxílio especializado.

A maior indicação para o uso do balão é em pacientes cujo peso está tão alto que é conveniente perder um pouco para que possa ser submetido a uma cirurgia de obesidade com peso mais baixo, para correr menos riscos. Além disso, pode também ser usado por:

Trata-se de uma abordagem simples e inovadora para perda de peso. Mas exige comprometimento do paciente com as mudanças necessárias no estilo de vida.

É uma ferramenta que precisa ser usada de maneira correta.

Cozinhando com menos óleo

Qual o melhor adoçante dietético?

Dr. Gustavo Sevá Pereira
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica