Dia 20 de outubro. Dia mundial de combate à Osteoporose

Trata-se de uma doença silenciosa, que acomete homens e mulheres, muitas vezes não diagnosticada até o paciente apresentar sua primeira fratura espontânea, sem qualquer relação com uma queda ou acidente. Normalmente existe um desequilíbrio entre a formação e a reabsorção de tecido ósseo, com predomínio da última. A doença está relacionada a alguns fatores, como história familiar, etnia, sedentarismos, tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas, algumas medicações como corticoides, o período pós-menopausa e algumas disfunções endócrinas, dentre outras causas.

Quando se usa o termo osteoporose, muitas pessoas relacionam a doença apenas ao sexo feminino, o que é um erro, pois os homens também podem ser acometidos pela doença.

O diagnóstico pode ser feito com o exame de densitometria óssea, que, associado ao histórico do paciente, definem a necessidade bem como o tipo de tratamento a ser instituído.

Os vários tipos de tratamento (orais ou injetáveis) devem ser monitorados por meio de exames laboratoriais e, periodicamente, exames de densitometria óssea. O tratamento não medicamentoso, tão importante quando a medicação, consiste em suspender o tabagismo e ingestão de bebidas alcóolicas, uma dieta adequada de cálcio e vitamina D, e estímulo à prática de atividades físicas.

A doença não tratada adequadamente pode ocasionar quedas, fraturas e outras complicações mais graves relacionadas à imobilização e possíveis cirurgias.

Por Dr. Alessandro Capatti Alves
Endocrinologista

{backbutton}