Páscoa, o que fazer com tanto chocolate?

Estamos na semana da Páscoa, e os mais variados tipos de chocolate são o que não faltam nessa época do ano. Em forma de ovo, coelho, cenoura, pombas ou até onde a imaginação da indústria conseguir chegar, os chocolates chegam à mesa de todos, fazendo com que essa semana seja uma verdade prova de fogo para aqueles que querem emagrecer ou para os que precisam seguir dietas mais rigorosas, caso de muitas pessoas com diabetes.

A pergunta que fica é: essas pessoas com diabetes podem ou não se render a tamanha disponibilidade de chocolates?

Essa questão deve ser respondida com algumas ressalvas. Primeiramente, não há nada que proíba uma pessoa com diabetes de consumir chocolate, uma vez que o açúcar ali encontrado, não seja nocivo e não eleve os níveis de açúcar no sangue mais do que outros carboidratos encontrados, por exemplo, em um prato de arroz ou macarrão.

No entanto, deve-se ter em mente que o problema está na concentração destes açúcares. O chocolate tem uma concentração elevada de açúcar e outras gorduras, além de ser pobre no aspecto nutricional, fazendo com que seu consumo, mesmo em pequenas quantidades, contribua apenas com altos valores de nutrientes de grande valor energético. Desse modo, aqueles que seguem dietas mais restritas, devem sempre ter cautela com o consumo de chocolate, consumindo pequenas porções longes umas das outras e, preferencialmente, aproveitando para substituir algum outro alimento que seria consumido durante o dia.

Conferir rótulos em busca de informações de carboidratos, gorduras e calorias é sempre importante. Para os diabéticos, é fundamental checar a quantidade dos carboidratos em gramas para fazer as devidas substituições na dieta, lembrando que o chocolate é vilão pela sua grande quantidade de açúcar de forma concentrada.

É possível aproveitar o doce sabor da Páscoa sem excessos e mantendo a saúde em primeiro lugar.

Feliz Páscoa a todos!

Equipe do site Walter Minicucci